Existem muitos estudos realizados por pesquisadores que provam e concordam que o equilíbrio da nossa saúde está relacionado à quantidade e a qualidade dos íons negativos presentes em nosso ambiente.  Eles são partículas importantes que fornecem energia para todo o corpo humano.

O Biomat possui uma camada de turmalina negra que emite uma descarga elétrica microscópica. Quando esta se mistura com o oxigénio do ar, íons negativos são criados pelas moléculas que colidem e se separam. Íons negativos estimulam força e energia no corpo humano, bem como o alívio de dor.

Através de pesquisa realizada pelo Dr. Tanaka no Japão, descobriu-se que, quando  recebemos ionização negativa no nosso organismo, aumentamos no sangue, a produção de íons de cálcio e natrium (sal). Como consequência, o nosso sangue se torna mais alcalino.

Quando a quantidade de íons negativos no sangue aumenta, a função celular é ativada. A troca de material eléctrico acelera a função da célula e, como resultado, a nutrição é totalmente absorvida pela célula e as toxinas são eliminadas. O metabolismo é aumentado e a função da célula é gradualmente restaurada.

Ao mesmo tempo, a gama globulina no sangue aumenta, resultando em sangue rico em proteínas e anticorpos.

O Dr. Tanaka também descobriu que os íons negativos controlam o equilíbrio do sistema nervoso entre a insulina e as funções renais. Isso proporciona uma elevada resistência às doenças.

Os cientistas Erwin Neher e Bert Sakmann da Alemanha receberam O Prêmio Nobel de Fisiologia e Medicina em 1991 pelas suas descobertas a respeito da função dos Canais de Íons nas células.

As contribuições de Neher e Sakmann tiveram um profundo significado no campo de biologia celular, possibilitando a compreensão dos diferentes mecanismos de doenças e possibilitando o desenvolvimento de novos tratamentos, medicamentos e drogas farmacêuticas.

A equipe técnica que projetou o painel de controle computadorizado do BioMat, baseou-se nos resultados das pesquisas desses dois cientistas alemães.

Outro médico, especialista no cérebro, Pierce J. Howard, PhD, autor do livro “The Owners Manual for the Brain: Everyday Applications from Mind Brain Research”, e diretor de pesquisa do Centro de Ciências Cognitivas Aplicadas em Charlotte, NC diz que “íons negativos aumentam o fluxo de oxigênio para o cérebro, resultando em maior agilidade, diminuição da sonolência e mais energia mental.”